12 de dezembro de 2008

possível parágrafo


Eu nem queria estar aqui, mas é conveniente. solidão em prosa é como verso sem medida, como livro sem dedicatória, como mar sem bicicleta ao redor. como se não existisse temporal, eu não queria estar aqui, mas o que fazer se há a vontade e o desafio em contrapartida? Se há tudo de vontade e de desesperança, diria que não é mais possível pensar em outro lugar, mas eu não queria estar aqui. ontem eu até pensei nisso como a segurança dos passos e até fiquei mais feliz por ver escolhas pro destino do outro. seria então eu egoísta? se sim, eu não queria estar aqui. E mais... faltam-me outros passos a dar. querer ficar, beijar o menino mais doce que me propuser um beijo e ligar sem destinatário para usar o móvel falante bonito. Que me propõe quem me lê? sim, querer pode ser não desejar, às vezes. tem mais passos a ouvir no chão.

4 comentários:

Celine disse...

Me lembro disso.
Lindo.
E estar aqui é o que vc tem. É a ponte pro que você ama.
beijos

Larissa Santiago disse...

somos egoístas, todos!!!
vamos sozinhos, sair daqui.

Larissa Santiago disse...

hey...
feliz ano todo, pro'cê!!!
um beijooooo e saudades

jacker disse...

chloe bags
chloe handbag
chloe handbags
chloe paddington bags
chloe paddington bag