20 de junho de 2009

pensaminhando


O primeiro passo foi se convencer que nada tinha sido bruscamente se movimentado. Pronto, nem tudo mudou e os capítulos a seguir não pretendem ser licensiados por uma ruptura abrupta. Acabou-se os pontos e virgulas, nada de classificações.

O segundo passo foi entender o por quê de tudo estar tão diferente se nada mudou. Há um acre sabor na boca, daqueles pirulitos que vai modificando a coloração de seu paladar.

O terceiro passo não foi dado. Preferiu descansar um pouco de pensar no que se sucederia depois de aquele momento não ser o mesmo e também parecer novo. Uma confusão dos diabos, parecia que sua cabeça girava sem parar e por isso mesmo tinha que descansar.

O quarto e o quinto passos, perdeu o interesse por saber quais eram. "É fulero ficar pensando num destino traçado, sacou?"*

* Disse Ivete Sangalo alguma vez.

5 comentários:

Rafael Sady :D disse...

Eu acho tão engraçado essas pessoas que escrevem tudo certinho, tudo bonitinho, tudo bem planejado. Só que erram justamente no uso dos "porquês". Acertam em tudo, na concordância, nas palavras, na colocação, e no mais fácil erram.
Mas confesso que você escreve MUITÍSSIMO bem. A idéia que passa é perfeita. xD Beijos, parabéns.

Rafael Sady :D disse...

Ah, sim! Se quiser responder ao meu comentário: rafasady@hotmail.com.

Franklin Marques disse...

eu quem digo agora: QUE SAUDADE DE VOCÊ!!!!!!

Larissa Santiago disse...

sumiste!
daqui

Ite Ramos disse...

Ah, o Rafael quis dizer "o porquê", logo que é um substantivo, mas deu pra entender a mensagem.
Fiquei intrigada com terceiro passo...rsrsrsrs