27 de novembro de 2007

Pra declarar minha saudade!


Parte VI - Pelo desejo

Ai! A imaginação furtiva desses caminhos. Sussura pra si como se o entendimento das sensações fossem tal gotas de água libertas em drops no oceano. Nem que quisesse mais, os limites o acompanharia. E não vai desistir... de continuar. Passa o tempo sem demora a reparar os traços que ele vai deixando no caminho, passa a noite com carinho, passa o vento com leveza, passa a destreza do querer bem, passa o frio de coberta, passa a chuva com tempo bom!

Djavan tocava Se... na vitrola pra ele.

Malemolente, vestiu-se com a segurança que o ambiente lhe preparara anteriormente, afinal era o dono da sala de estar. Já tinha descascado o abacaxi e preparado as folhas de hortelã quando uma mensagem o chega por qualquer sinal. Com uma frase que dizia: "a indecisão, as palavras subjetivas, seriam também forma de dizer que sim, ou não?"

Conseguia tocar em seu corpo viril. Lia os afluentes tranquilos de Rosa, se preparava pra mudar de vida e cantarolou baixo imaginando sussuro no ouvido do outro que chegaria (?):

"Se eu me entregar total
Meu medo é!
Você pensar que eu
Sou superficial...
(...)
Se você quiser
Ser meu namoradinho
E me der o seu carinho
Sem ter fim
Prá você eu digo:
Sim!..."*

"
Aí ele disse: vai querer?"
" Aí ele disse: por amor, ou por besteira?"**

Foto: Franklin Marques

*Trechos da música Pra você eu digo sim versão de Rita Lee / música de Jonh Lennon e Paul McCartney

**Trechos da música Amor de Muito de Chico Science.

3 comentários:

.F Marques disse...

honroso ilustrar seu texto.

niltim disse...

Pra mim, a imagem não é extensão de texto algum, é inerente a ele. Quando unidos palavras e cores, já não são mais dois. É uma única leitura...

Larissa Santiago disse...

é por amorr!!!
lindoooooOoOOOoOoOoOOO