18 de novembro de 2007

Pra declarar minha saudade!


Parte IV - era criatividade?

Então respirou o ar da cidade, procurando acalanto para seu sentimento de vontade. Pisava macio, tocava na rua como se fosse parte dele mesmo. Crescia então a esperança. Estaria com aquela sensação de que agora podia compartilhar os mais puros sentimentos de enlace, carinho se satisfação com as coisas simples? Dividir as cores e os ventos nos cabelos?

Comentou o amor com seu José da padaria. Trocou carícias com a menina que ainda brincava na praça. Alimentou os olhos com a velocidade dos carros a passar, do verde e amarelo escuro das árvores, das amêndoas no chão.

Foi pra casa qual ligeiro. Estaria ancioso.

E então, lembrou que era apenas vontade, desejo. Que como sempre, o outro não viria, por que o outro mesmo não sabia de seus desejos e mais: o outro tem outros desejos imaginários, outras questões mais importantes, outros amores.

Comprou o vinho à toa. Foi procurar suco na geladeira. Chorou pro amigo mais próximo. Falou com o outro no telefone. Ficou sozinho.

Ilustração: Vânia Medeiros

7 comentários:

niltim disse...

É Jão, latino que sou...

niltim disse...

e se eu ainda tivesse coragem latina (da minha veia dramática buarquiana) cantaria:

Pelo amor de Deus
Não vê que isso é pecado, desprezar quem lhe quer bem
Não vê que Deus fica até zangado vendo alguém
Abandonado pelo amor de Deus

Ao Nosso Senhor
Pergunte se Ele produziu nas trevas o esplendor
Se tudo foi criado - o macho, a fêmea, o bicho, a flor
Criado para adorar o Criador

E se o Criador
Inventou a criatura por favor
Se do barro fez alguém com tanto amor
Para amar Nosso Senhor

Não, Nosso Senhor
Não há de ter lançado em movimento terra e céu
Estrelas percorrendo o firmamento em carrossel
Pra circular em torno ao Criador

Ou será que Deus
Que criou nosso desejo é tão cruel
Mostra os vales onde jorra o leite e o mel
E esses vales são de Deus

Pelo amor de Deus
Não vê que isso é pecado, desprezar quem lhe quer bem
Não vê que Deus até fica zangado vendo alguém
Abandonado pelo amor de Deus

Patrícia disse...

MOço maltratar não é direito!!

Me li te lendo!
te sou!

Zé Diego disse...

li. melhor.ouvi essa historia ao ler.

Celine disse...

A criatividade é a vida???
POsso pedir agora tintas de fato no papel??

beijos
=*
Te amo

Celine disse...

A criatividade é a vida???
POsso pedir agora tintas de fato no papel??

beijos
=*
Te amo

.F Marques disse...

a sensação de notar o movimento compassado é forte, quase um sussurro desregulado, por menos sentido que isso faça.